Literatura

Bailarina

Foi naquela vez,
Quando conheci    Inês,
Que me conheci.
Descobri-me menino,
Quando Inês, menina,
Se fez bailarina
Em meu sonho infantil.

Bailava, bailava,
Num ritmo alucinante,
Tornando-se, a cada instante,
Mais linda, a bela flor.

De repente,
Descobri-me adolescente!
A música não parava,
Inês bailarina...dançava.
E no ofuscar das luzes,
Sem um piscar, se quer,
Inês menina,
Deixou de ser bailarina,
E se fez mulher!

Nivaldo Donizeti Mossato

Os artigos aqui postados são de inteira responsabilidade dos seus autores.

Artigos

Poesias

Pensamentos

Textos

Nivaldo Donizeti Mossato - Todos os direitos reservados